22° CENÁCULO EM MANHUAÇU

22° CENÁCULO EM MANHUAÇU

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

CARDIAL RATZINGER - HOJE PAPA BENTO XVI FALA SOBRE RCC

São as palavras do Cardeal Ratzinger - hoje Papa Bento XVI - que declarou: "O período pós conciliar pareceu corresponder bem pouco às esperanças de João XXIII, que esperava um "novo Pentecostes". Sua oração, entretanto, não ficou sem resposta no coração de um mundo feito árido pelo ceticismo racionalista, nasceu uma nova experiência do Espírito Santo que assumiu a amplidão de uma moção de renovação em escala mundial. Tudo o que o Novo Testamento escreve a propósito dos carismas que apareceram como sinais visíveis da vinda do Espírito Santo não é mais história antiga apenas, encerrada para sempre: essa história torna-se hoje vibrante de atualidade. Não é por acaso, em confirmação de sua visão do Espírito como antítese do demoníaco, que, "enquanto uma teologia reducionista trata o Demônio e o mundo dos espíritos maus como uma mera etiqueta, no contexto da Renovação surgiu uma nova e concreta tomada de consciência das Potências do mal, unida, bem entendido, à serena certeza da Potência de Cristo, que a todas submete. É preciso antes de tudo salvaguardar o equilíbrio, evitar uma ênfase exclusiva sobre o Espírito, que, como lembra o próprio Jesus, "não fala por si mesmo", mas vive e age no interior da vida trinitária. Semelhante ênfase poderia levar a opor, a uma Igreja organizada sobre a hierarquia, fundamentada, por sua vez, em Cristo, uma outra Igreja "carismática", baseada apenas na "liberdade do Espírito", uma Igreja que se considere a si mesma como "acontecimento" sempre renovado. Salvaguardar o equilíbrio significa também o justo relacionamento entre instituição e carisma, entre fé comum na Igreja e experiência pessoal. Uma fé dogmática sem experiência pessoal permanece vazia; uma mera experiência sem ligação com a fé da Igreja é cega. Enfim, não é o "nós" do grupo que conta, e sim o grande "nós" da Igreja universal. Só esta pode oferecer o contexto adequado para "não extinguir o Espírito e manter o que é bom", segundo a exortação do Apóstolo. Além disso, para atingir os últimos recônditos dos riscos, é preciso precaver-se de um ecumenismo fácil demais, pelo qual grupos carismáticos católicos podem perder de vista a sua unidade e ligar-se de modo acrítico a formas de pentecostalismo de origem não católica, em nome exatamente do "Espírito", visto como oposto a instituição. Os grupos católicos da Renovação no Espírito devem, pois, mais do que nunca "sentire cum Ecclesia", agir sempre em comunhão com o bispo, também para evitar os danos que surgem toda vez que a Escritura é desenraizada do seu contexto comunitário: o fundamentalismo, o esoterismo e o sectarismo. Certamente [a RCC] trata-se de uma esperança, de um positivo sinal dos tempos, de um dom de Deus para a nossa época. È a redescoberta da alegria e da riqueza da oração contra a teoria e práxis sempre mais enrijecidas e ressecadas no tradicionalismo secularizado. Eu mesmo constatei pessoalmente a sua eficácia: em Munique, algumas boas vocações ao sacerdócio vieram-me do movimento. Como em todas as realidades entregues ao homem, dizia eu, também esta é exposta a equívocos, a mal-entendidos e a exageros. O perigo, porém, seria ver apenas os riscos, e não o dom que nos é oferecido pelo Espírito. A necessária cautela não muda, portanto, o juízo positivo do conjunto" (Livro "A fé em crise?", Pg. 116/7 - Ed. E.p.u. - 1985)

PADRE RANIERO CANTALAMESSA FALA SOBRE RCC

Entrevista com o padre Raniero Cantalamessa

CASTEL GANDOLFO, 25 de setembro de 2003 (ZENIT.org).- Longe de ser uma realidade que deva ser observada com «prevenção», a experiência do batismo no Espírito faz da Renovação Carismática Católica um formidável meio querido por Deus para revitalizar a vida cristã, constatou esta quinta-feira o padre Raniero Cantalamessa, pregador oficial da Casa Pontifícia.

Em 18 de fevereiro de 1967, trinta estudantes e professores da universidade de Duquesne (Pensilvânia, Estados Unidos), fizeram um retiro espiritual para aprofundar na força do Espírito dentro da Igreja primitiva. O chamado teve uma resposta surpreendente, estendendo-se pelos cinco continentes.

Reconhecida pelo Conselho Pontifício para os leigos, atualmente mais de cem milhões de católicos vivem esta experiência, segundo confirma Alan Panozza, presidente dos «Serviços Internacionais da Renovação Carismática Católica» (ICCRS, por suas siglas em inglês), com sede no Vaticano.

Hoje, depois de 35 anos, a Renovação Carismática está presente em mais de duzentos países.

Considerando os fiéis das Igrejas protestantes, evangélicas e pentecostais, e alguns da Igreja ortodoxa, estima-se que no total os cristãos que tiveram esta experiência carismática somam cerca de 600 milhões no mundo.

Mais de 1.000 líderes da Renovação Carismática Católica procedentes de 73 países se reuniram na localidade italiana de Castel Gandolfo em torno ao tema da santidade --à luz da Encíclica de João Paulo II «Novo Millenio Ineunte»-- de 20 a 25 de setembro em um retiro cuja pregação foi encomendada ao padre Cantalamessa, ofm. Cap.

O Cardeal James Francis Stafford, presidente do Conselho Pontifício para os Leigos, e o bispo Stanislaw Rylko, secretário deste organismo vaticano, estiveram entre os convidados à reunião internacional convocada pelo ICCRS.

Por seus testemunhos de primeira mão na experiência «carismática», Zenit entrevistou o padre Raniero Cantalamessa momentos antes da Conclusão do encontro.

- Na Igreja há fiéis que consideram que o «batismo no Espírito» é uma invenção dos carismáticos. Inclusive que puseram nome a uma vivência, mas que não está «catalogada» na Igreja. Poderia explicar, desde sua própria experiência, o que é o batismo no Espírito?

- Pe. Raniero Cantalamessa: O batismo no Espírito não é uma invenção humana, é uma invenção divina. É uma renovação do batismo e de toda a vida cristã, de todos os sacramentos. Para mim foi também uma renovação de minha profissão religiosa, de minha confirmação, de minha ordenação sacerdotal. Todo o organismo espiritual se reaviva como quando o vento sopra sobre uma chama. Por que o Senhor decidiu atuar neste tempo desta maneira tão forte? Não sabemos. É a graça de um novo pentecostes.

Não é que a Renovação Carismática tenha inventado o batismo no Espírito. De fato, muitos o receberam sem saber nada da Renovação Carismática. É uma graça; depende do Espírito Santo. É uma vinda do Espírito Santo que se traduz em arrependimento dos pecados, que faz ver a vida de uma maneira nova, que revela Jesus como o Senhor vivo --não como um personagem do passado-- e a Bíblia se converte em uma palavra viva. A verdade é que não se pode explicar.

Há uma relação com o batismo, porque o Senhor diz que quem crê será batizado e será salvo. Nós recebemos o batismo de crianças e a Igreja pronunciou nosso ato de fé; mas chega o momento em que nós temos que ratificar o que sucedeu no batismo. Esta é uma ocasião para fazê-lo, não como um esforço pessoal, mas sob a ação do Espírito Santo.

Não se pode afirmar que milhões de pessoas estejam equivocadas. Yves Congar, este grande teólogo que não pertencia à Renovação Carismática, em seu livro sobre o Espírito Santo afirmava que a realidade é que esta experiência mudou profundamente a vida de muitos cristãos. E é um fato. A mudou e iniciou caminhos de santidade.

- Como vive seu ministério como pregador da Casa Pontifícia desde sua experiência na Renovação Carismática?

- Pe. Raniero Cantalamessa: Para mim tudo o que passou desde 1977 é um fruto de meu batismo no Espírito. Era professor na Universidade. Dedicava-me à pesquisa científica na história das origens cristãs. E quando aceitei não sem resistência esta experiência, depois tive o chamado de deixar tudo e colocar-me à disposição da pregação, e também a nomeação como pregador da Casa Pontifícia chegou depois de que tinha experimentado esta «ressurreição». Vejo isso como uma grande graça. Depois de minha vocação religiosa, a Renovação Carismática foi a graça mais assinalada de minha vida.

- Desde seu ponto de vista, os membros da Renovação Carismática têm uma vocação específica dentro da Igreja?

- Pe. Raniero Cantalamessa: Sim e não. A Renovação Carismática, temos que dizer e repetir, não é um movimento eclesial. É uma corrente de graça que está destinada a transformar toda a Igreja: a pregação, a liturgia, a oração pessoal, a vida cristã. Assim que não é uma espiritualidade própria. Os movimentos têm uma espiritualidade e acentuam um aspecto, por exemplo a caridade. Antes de tudo, a Renovação Carismática não tem fundador; nenhum pensa em atribuir à Renovação Carismática um fundador porque é algo que começou em muitos lugares de diferentes maneiras. E não tem uma espiritualidade; é a vida cristã vivida no Espírito.

Mas pode-se dizer que como a gente que viveu esta experiência constitui socialmente uma realidade --são pessoas que fazem determinados gestos, oram de certa maneira-- então se pode identificar uma realidade social cujo papel é simplesmente o de colocar-se à disposição para que outros possam ter a mesma experiência. O cardeal Leo Jozef Suenens, que foi o grande protetor e partidário da Renovação Carismática no início, dizia que o destino final da Renovação Carismática poderá ser o de desaparecer quando esta corrente de graça tenha contagiado toda a Igreja.

- A ponto de concluir a pregação de um retiro no qual estiveram mil líderes carismáticos de todo o mundo, que mensagem gostaria de deixar ao crente que desconhece a Renovação?

- Pe. Raniero Cantalamessa: Quero dizer aos fiéis, aos bispos, aos sacerdotes, que não tenham medo. Desconheço por que há medo. Talvez em alguma medida porque esta experiência começou entre outras confissões cristãs, como pentecostais e protestantes. Contudo, o Papa não tem medo. Falou dos movimentos eclesiais, inclusive da Renovação Carismática, como de sinais de uma nova primavera da Igreja, e muito com freqüência faz referência na importância disso. E Paulo VI afirmou que era uma oportunidade para a Igreja.

Não há que ter medo. Há Conferências Episcopais, por exemplo na América Latina --é o caso do Brasil--, onde a hierarquia descobriu que a Renovação Carismática não é um problema: é parte da solução ao problema dos católicos que se afastam da Igreja porque não encontram nela uma palavra viva, a Bíblia vivida, uma possibilidade de expressar a fé de maneira gozosa, de forma livre, e a Renovação Carismática é um meio formidável que o Senhor pôs na Igreja para que se possa viver uma experiência do Espírito, pentecostal, na Igreja católica, sem necessidade de sair dela.

Tampouco se deve considerar que se trata de uma «ilha» na qual se reúnem algumas pessoas que são um pouco emocionais. Não é uma ilha. É uma graça destinada a todos os batizados. Os sinais externos podem ser diferentes, mas em sua essência é uma experiência destinada a todos os batizados.

FONTE: ZENIT.org

PAPA JOÃO PAULO II FALA SOBRE RCC

Renovação Carismática
2010-04-23 07:41:00

-
Em 1998, o Santo Padre João Paulo II, falando aos líderes da Renovação Carismática, disse: “O Movimento da Renovação Carismática Católica é um dos diversos frutos do Concílio Vaticano II. Como não dar graças pelos frutos que a Renovação Carismática deu à Igreja e em tantas pessoas? Quantos leigos, homens e mulheres, puderam experimentar o poder extasiante do Espírito Santo e dos seus carismas? Quantas pessoas descobriam a fé e o gosto da oração, a força e a beleza da Palavra de Deus? Traduzindo tudo isso num serviço generoso à Igreja”. E, concluindo, o Papa disse: “Desejo com vocês, hoje, agradecer ao Espírito Santo”.
Eu me sinto honrado de falar sobre a ação do Espírito Santo que vocês têm experimentado aqui no Brasil. Vocês são pessoas especiais no plano de Deus. E quero partilhar com vocês sobre como a Renovação Carismática é um “kairós”, um evento no mundo. Então, qual é a mensagem que é preciso dar ao mundo e aos cristãos? Aqui estamos falando do fenômeno na sua globalidade, e não apenas de uma prática singular, como as línguas ou as curas. Eu considero a Renovação Carismática como a realização de uma profecia do Pontífice Paulo VI, quando afirmou que a Renovação é uma chance para a Igreja, isto é, uma esperança, uma oportunidade para a Igreja.
Consideremos um fato. Este movimento, tão pouco estudado pelos especialistas, é o movimento missionário que mais cresce no mundo. E tem uma dimensão significativamente ecumênica. Vocês imaginem que esse movimento está presente em todas as igrejas protestantes e também ortodoxas, além da Igreja Católica. E no presente século teve um crescimento de zero a 600 milhões de cristãos, e as estimativas estatísticas prevêem que em 2025 terá um bilhão e cem milhões de carismáticos em toda a Igreja Cristã. Trata-se do maior movimento de renovação na história da Igreja. Eis por que vocês são pessoas especiais no plano de Deus. Deus seja louvado!
Caros irmãos, diante de um movimento de 600 milhões de cristãos, onde a maioria das pessoas experimentaram uma vida genuinamente cristã e um sincero desejo de missão, é verdadeiramente difícil negar a presença e a obra do Espírito Santo. E o movimento carismático foi para a Igreja como um choque espiritual. Nenhum homem, nenhum eclesiástico, nenhum teólogo, nenhum papa, nenhum pastor, por mais que fosse brilhante, poderia prever ou planejar uma emissão espiritual no fim deste século XX em milhões de homens e mulheres que estão famintos em busca de Deus. Mas eu gostaria de entender com vocês o que Deus está fazendo com esta renovação, qual a mensagem a enviar à Igreja e ao mundo e também que tipo de engajamento o movimento deve assumir diante da Igreja. A Renovação propõe o primado de Deus na Igreja e no fiel. A espiritualidade da Renovação Carismática tem origem em Pentecostes, como nos foi descrito por S. Lucas no livro dos Atos. O Espírito Santo entra na vida da Igreja que está nascendo e gera três frutos espirituais: presença, poder e louvor. Antes de tudo, a presença viva de Jesus, conhecido como Senhor e Salvador. Outro fruto de Pentecostes é também o poder de evangelizar, de ser missionário. E o Pentecostes é também uma grande resposta de louvor, adoração e glorificação de Deus.
Portanto, a Renovação Carismática nos propõe de novo a centralidade de Deus nos nossos dias, através do batismo no Espírito Santo. E o próprio batismo no Espírito Santo propõe novamente o primado de Deus. Jesus disse: “Recebei o Espírito Santo e sereis minhas testemunhas, porque sem mim – vejam o primado de Deus – vocês não podem fazer nada”. Não se pode construir a Igreja do Senhor; os carismas, os dons, os ministérios vêm do Espírito de Deus. Porque “se não é o Senhor que constrói a casa, em vão trabalham os construtores”. E dizia Paulo: “Somos batizados no Espírito para formar um só corpo, ou seja, o corpo da Igreja”.
Tem uma erupção poderosa da presença de Deus que gera um desejo da presença de Deus, uma fome, uma busca de Deus. As pessoas têm fome de coisas espirituais, têm fome de oração, da Palavra de Deus, dos dons do Espírito, dos sacramentos, da Igreja, de santidade, de pastores... têm fome insaciável. E a Renovação Carismática se apresenta como um movimento contemporâneo de busca de Deus, como aconteceu no passado, com os grandes movimentos da reforma da Igreja, como as ordens mendicantes na Idade Média, o movimento de Francisco de Assis e outros, onde as pessoas não estão nunca saciadas de Deus inteiramente. E o Papa nos disse: “Vocês redescobriram o poder do Espírito, os carismas, as graças sobrenaturais, os dons, a fé, o gosto pela oração, a força e a beleza da Palavra de Deus, a missão, a evangelização. Então por isso a Renovação, ousadamente eu digo, se torna uma busca angustiosa da presença de Deus. Como dizia Francisco de Assis: “Deus nunca é bastante”.
A audácia da Renovação Carismática é aquela de proclamar que o homem pode fazer a experiência de Deus, porque a Escritura diz que é justo, é bom fazer experiência de Deus. E a Renovação Carismática acrescenta: “Deus quer fazer comunhão, entrar em relação com o homem”. Até o ponto em que Ele vem fazer morada em nós e nos elege como templo do Espírito Santo, templo da sua presença. E isso é espantoso! Pensem só, Deus não habita numa construção feita de tijolos, Ele escolheu viver em você e em mim, e nós somos a morada do Deus vivo, isso é extraordinário!
E agora nós podemos compreender como é lógico, é natural que Deus coloque o seu poder na sua criatura. Vocês sabem por que nós somos carismáticos? Porque Deus é onipotente. E Ele pode fazer em nós aquilo que quiser. É natural uma erupção do Espírito Santo, irmãos e irmãs. A Renovação Carismática é a resposta providencial do plano de Deus em uma sociedade que tinha declarado a morte de Deus. Nesta sociedade secularizada, Deus requer o seu primado. Deus, eterna eternidade! A Renovação Carismática é uma contestação do Espírito Santo a uma visão secular de um mundo fechado em si mesmo, dobrado sobre os seus próprios problemas, que deixou de procurar Deus, que se voltou à adoração de falsos deuses, que tornam o homem escravo do dinheiro, do sexo, na religião do hedonismo, do prazer. A Renovação Carismática contesta todas as sociedades que reduzem o homem à existência terrena, materialista, alienada de Deus. Mas vocês sabem de uma coisa, a Renovação Carismática não faz essa contestação com as palavras, mas com a vida, através da manifestação pública da oração, proclamando que Deus está vivo, que goza de ótima saúde, que não está doente, não está morto, mas Ele está vivo na sua Igreja e que Deus vem ao nosso encontro com Jesus Cristo, e que esse encontro pessoal com Jesus Cristo enche perfeitamente o homem e diz que o universo não está fechado, mas que a humanidade caminha para o seu cumprimento, invocando, a alta voz, o retorno de Cristo: “Maranatá, vem Senhor Jesus!”. Essa contestação da Renovação Carismática acontece na tensão que Deus ama todos os homens, que Ele os está chamando à salvação, à redenção. “Porque Deus amou tanto o mundo, que mandou o seu Filho unigênito”.
Hoje constatamos uma grande inflação de linguagens, de palavras, e o mundo não está mais disposto a ouvir as pregações, dizia Paulo VI: “O mundo não precisa de mestres, mas de testemunhas”. E os carismáticos não procuraram criar uma nova linguagem da fé, nem tentaram formular sábios discursos sobre Deus. Eles abriram com simplicidade a Bíblia e procuraram, com todos os esforços, colocá-la em prática. E esta é a nova contestação do Espírito, recolocar a sua Palavra no centro da sua Igreja. Os carismáticos, então, voltaram-se a Deus amigavelmente, de forma direta, pessoal. Falaram familiarmente ao Pai, com humildade, orações e cânticos. E um pouco desconcertados eles falaram que tinham uma relação pessoal com Jesus Cristo, que podiam tocá-lo, na fé, como diz João; eles podiam ver com os olhos da fé, como os discípulos de Emaús e revelaram que tinham submetido a Jesus suas vidas.
Como vocês podem ver, os carismático não inventaram nada de novo. Até mesmo a conversa cotidiana dos carismáticos era feita de expressões simples. As pessoas se encontravam até mesmo no mercado, fazendo compras, e se saudavam: “Aleluia, Irmão!” E isso, de certa forma, fazia com que as pessoas ficassem impressionadas. Os carismáticos distribuíam bênçãos: “Deus te abençoe!” E em certos casos isso não apenas desconcertava, mas também incomodava. Sobretudo quando esse “Deus te abençoe!” era dito a um padre ou bispo.
Então, a postura da Renovação Carismática pode ser explicada da seguinte forma: porque não é possível falar ao mundo de Deus, não se pode ter um discurso sobre Deus para convencer o mundo, não é melhor, por acaso, falar diretamente a Deus, na oração? E manifestar publicamente que a sua Igreja está viva. Diante da dificuldade de ter uma pregação sobre Deus, a Renovação não faz argumentos, mas testemunha, apresenta a sua experiência pessoal, a sua conversão, com espontaneidade, com simplicidade. A Renovação, assim, é uma contestação a uma sociedade que tenta calar sobre Deus. É, então, uma profecia viva. E faz isso através dos encontros de oração, da liturgia Eucarística, da alegria de crer na grande verdade, contra cada mentira do inimigo, que reduziu a existência do homem à escravidão, pois somente a fé dá um sentido à existência do homem e o gosto de viver por Deus.
Portanto, a Renovação Carismática é, sobretudo, conversão, metanóia. O batismo no Espírito, que muitas vezes não se compreendeu ao certo o sentido, não é senão o chamamento a viver radicalmente a graça do Batismo e do Crisma. Graças a esse batismo no Espírito, a essa nova missão do Espírito Santo no batizado, hoje se acendeu no mundo inteiro um grande fogo de um novo despertar. Os testemunhos que encontram lugar importante nos encontros de oração não são nada mais que uma contínua lembrança à conversão. O Reino de Deus está próximo e nós precisamos nos converter, precisamos acolhê-lo e precisamos mudar de vida. O Espírito é, antes de tudo, Santo e exige a nossa santificação, a separação do pecado. Naturalmente, o autor dessa conversão e dessa santificação é sempre o Espírito. Vocês sabem que isso contribuiu para levar à Igreja uma nova cultura do Espírito, porque não se tinha esse conhecimento do Espírito Santo como hoje nós vivemos na Renovação.
Eu não sei como é a situação no Brasil, mas na Itália, na Europa, a Renovação Carismática foi injustamente marginalizada, atacada ou foi representada em modo caricatural. Mas a verdade é que a Renovação nos recorda que tudo vem de Deus e que a fé é um acolhimento; é preciso acolher Deus e a sua Palavra, e é a fé então que vai produzir as obras sociais. Se não houver uma verdadeira conversão a Jesus Cristo, eu duvido muito que aconteça uma verdadeira ação social cristã e católica. Eu duvido que venha a existir um autêntico voluntariado cristão.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
por Mateo Calisi
Revista Shalom Maná - Ed. Shalom - ENCONTRADO E POSTADO EM 29/02/2012 AS 22:40HS

domingo, 26 de fevereiro de 2012

GRUPO DE ORAÇÃO UNC REALIZA RETIRO DE CARNAVAL

O GRUPO DE ORAÇÃO PARA JOVENS UM NOVO CAMINHO - RCC DA FORANIA DE MANHUAÇU REALIZOU NOS DIAS 18 A 21 DE FEVEREIRO DE 2012 NO CENTRO PASTORAL BOM PASTOR NO BAIRRO MATINHA, O 5° RESTAURA O MEU POVO,COM ANIMAÇÃO DO MINISTÉRIO SHAMMAH DE MANHUAÇU. COM MUITA GARRA E VONTADE DE MOSTRAR A TODOS QUE É POSSIVEL BRINCAR O CARNAVAL E AGRADAR A DEUS, REALIZARAM COM SUCESSO O EVENTO. PARTICIPARAM +- 120 PESSOAS ENTRE JOVENS E ADULTOS, QUE COM CRISTOTECA, CINEMA, LUAU, TEATRO, ADORAÇÃO AO SANTISSIMO, MISSA, PREGAÇÕES( RENATO E LELETE DE CARATINGA, EDINHO G.O. SANTA LUZIA, DARLEY, MARCELO ELLOS DA GRAÇA) E FUTEBOL, PASSARAM DIAS MARAVILHOSOS NA PRESENÇA DO SENHOR. É, DESTE JEITO PODEM SE PREPARAR POIS A 6ª EDIÇÃO SERA MUITO CONCORRIDA. AQUI ALGUMAS FOTOS, OUTRAS PODEM SER VISTA NO ORKUT DO GRUPO E NO FACEBOOK.     RCC 26/02/2012


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2012.







Dom Nelson Westrupp, scj

Bispo Diocesano de Santo André

A celebração anual da Quaresma é ocasião favorável para a conversão e mudança de vida, tempo de preparação intensa para a Páscoa do Senhor. “Com efeito, escreve Bento XVI em sua Mensagem para a Quaresma de 2012, este é um tempo propício para renovarmos, com a ajuda da Palavra de Deus e dos sacramentos, o nosso caminho pessoal e comunitário de fé. Trata-se de um percurso marcado pela oração e pela partilha, pelo silêncio e pelo jejum, com a esperança de viver a alegria pascal”.
“No Brasil, recorda o Texto-Base (TB), a dimensão comunitária da Quaresma é vivenciada e assumida pela Campanha da Fraternidade (CF). A cada ano, a Igreja destaca uma situação da realidade social que precisa ser mudada” (pág. 115). O tema deste ano é: “Fraternidade e Saúde Pública”, e o lema: “Que a saúde se difunda sobre a terra” (cf. Eclo 38,8).
A vida é um dom de Deus a ser protegido, preservado e difundido. Todos os seres vivos estão em jogo, sobretudo, os seres humanos. A saúde e a qualidade de vida destes seres são direitos intocáveis. A própria Oração da CF 2012 pede que ‘cuidemos’ de toda a criação.
Ao propor à nossa reflexão a Fraternidade e a Saúde Pública, a Igreja quer sensibilizar a todos sobre a dura realidade enfrentada diariamente por grande parte da população brasileira. O que mais se deseja para todo ser humano é a saúde integral. Entretanto, um número elevado de pessoas não tem acesso à assistência de Saúde Pública condizente com suas reais necessidades e dignidade. Numerosos são os cidadãos e cidadãs que não desfrutam de um “atendimento humanizado e acolhedor, realizado por profissionais qualificados..., livre de qualquer discriminação, restrição ou negação em virtude de idade, raça, cor, etnia, religião, identidade de gênero, condições econômicas ou sociais, estado de saúde, de anomalia ou de deficiência...”, conforme afirma a “Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde” (cf. TB, 141).
A Organização Panamericana de Saúde, por sua vez, afirma que “a saúde pública é o esforço organizado da sociedade, principalmente através de suas instituições de caráter público, para melhorar, promover, proteger e restaurar a saúde das populações por meio de atuações de alcance coletivo” (cf. TB, 107).
De declarações de boas intenções e de promessas feitas durante campanhas eleitorais o povo já está saturado. Na verdade, garantir para a população “saúde integral” é um dos principais desafios sociais na atualidade.
Ainda estamos longe de atingir e de seguir o exemplo de países que, de fato, dedicam atenção especial à saúde pública. Por isso, tem razão o TB da CF 2012 ao constatar que o atendimento no Sistema Público de Saúde Brasileiro deve ser melhorado, uma vez que muitas são ainda as reclamações em relação ao desrespeito à dignidade humana, frente à vulnerabilidade do sofrimento e da doença (cf. TB, 139).
Aproveitamos o ensejo para louvar e agradecer a Pastoral da Saúde de nossa Diocese e todos os Agentes de Saúde, sempre atentos e solícitos para que a saúde se difunda mais e mais sobre a terra (cf. Eclo 38,8).
A figura do bom samaritano seja a inspiração de nossa ação evangelizadora, fazendo-nos entender que não é lícito delegar o alívio do sofrimento apenas à medicina, mas que “estejamos atentos uns aos outros, para nos incentivar ao amor fraterno e às boas obras” (Hb 10,24).
Cuidar da saúde da alma e do corpo seja nosso grande desafio para este novo ano.
TEXTO EXTRAIDO DO SITE DA CNBB BRASIL EM 10/02/12 -  www.cnbb.org.br

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

INTENÇÕES PERMANENTES PARA O ANO DE 2012 - OREM EM TODAS AS CIRCUNSTÂNCIAS.



IRMÃOS E IRMÃS, PRECISAMOS CONTINUAR ORANDO, A PALAVRA DIZ QUE ISTO É NECESSÁRIO " INTENSIFICAI AS VOSSAS INVOCAÇÕES E SÚPLICAS. ORAI EM TODA CIRCUNSTÂNCIA, PELO ESPÍRITO, NO QUAL PERSEVERAI EM INTENSA VIGÍLIA DE SÚPLICA POR TODOS OS CRISTÃOS" EFESIOS 6, 18.

PELO SANTO PADRE O PAPA BENTO XVI E SEUS AUXILIARES NO VATICANO, POR DOM
EMANUEL MESSIAS " BISPO DA DIOCESE DE CARATINGA" E TODOS OS BISPOS, PELOS PADRES DA PAROQUIA DE SÃO LOURENÇO E BOM PASTOR, PELA RCC FORANIA DE MANHUAÇU E SUA NOVA COORDENAÇÃO ELEITA NA ULTIMA REUNIÃO DIA 03/12/11  NO SALÃO ANEXO A IGREJA DA IMACULADA CONCEIÇÃO NO COQUEIRO EM MANHUAÇU NA QUAL FOI ELEITO JOÃO RUIZ COMO NOVO COORDENADOR,PELA RCC DA  DIOCESE E SUA NOVA COORDENAÇÃO ELEITA DIA 27/11/11 EM PIEDADE DE CARATINGA NACASA DE CURSOS DA RCC ONDE FOI ELEITO O RENATO COMO COORDENADOR DIOCESANO, E PELA RCC EM TODO MUNDO, POR NOSSOS IRMAOS RCC FALECIDOS E QUE NOS TRAZEM TANTAS LEMBRANÇAS E SAUDADES.PELOS PADRES: JOÃO LUCIO, PADRE RENATO E PADRE PAULO ROGÉRIO, DESIGNADOS PARA MISSÃO EM OUTROS LUGARES.PELA .PELOS GRUPOS DE ORAÇÃO, PRINCIPALMENTE GRUPOS DE ORAÇÃO PARA JOVENS, A FIM DE QUE CRESÇAM NA ESPIRITUALIDADE E PARTICIPEM COMO AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO.  PELOS PROJETOS DE EVANGELIZAÇÃO DA RCC PARA O ANO DE 2012. OREMOS PELO PADRE FRANSCISCO DAS CHAGAS, NOVO PAROCO DA PARÓQUIA DO BOM PASTOR, POR NOSSAS COMUNIDADES DE VIDA E ALIANÇA, PELAS COMUNIDADE DE NOSSA CIDADE EM CADA BAIRRO, POR NOSSAS LIDERANÇAS  E MOVIMENTOS, POR TODOS OS LEIGOS PARA QUE ASSUMAM SUA POSTURA COMO MISSIONÁRIO.PELOS MINISTÉRIOS DA RCC NOS GRUPOS DE ORAÇÃO, NA DIOCESE E NO BRASIL. PELAS NECESSIDADES ESPIRITUAIS E FINANCEIRAS DOS ESCRITÓRIOS DIOCESANO, ESTADUAL E NACIONAL DA RCC.PELOS PROJETOS DA RCC NA DIOCESE, NO ESTADO, NO BRASIL, NA AMERICA LATINA E NO MUNDO.PELOS EVENTOS DE EVANGELIZAÇÃO DA RCC NO GRUPO DE ORAÇÃO, NA DIOCESE, NO ESTADO E NO BRASIL.PELA REUNIÃO DOS CONSELHOS DIOCESANO, ESTADUAL E NACIONAL QUE ACONTECERAO DURANTE O ANO DE 2012.PELA PRESIDENCIA DOS CONSELHOS DIOCESANOS, ESTADUAL E NACIONAL DA RCC.PELAS CASAS DE MISSÃO DA RCC NO BRASIL. PELO ENCONTRO MUNDIAL DE JOVENS E PELO 30º CONGRESSO NACIONAL DA RCC QUE ACONTECERÃO EM FOZ DE IGUAÇU NOS DIAS 10/11/12/13/14/15 DE JULHO DE 2012. PELA ELEIÇÃO DOS NOVOS COORDENADORES DE GRUPOS DE ORAÇÃO DA FORANIA DE MANHUAÇU QUE ACONTECERA NO FINAL DE 2012 E POSSE EM JANEIRO 2013.
PAZ E BENÇÃOS A TODOS - MANHUAÇU - ATUALIZADO EM 07/02/12

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

REUNIÃO DE COORDENADORES DA FORANIA DE MANHUAÇU E LAGINHA

Aconteceu no dia 22 de janeiro de 2012 na cidade de Manhuaçu - MG, no salão da Igreja Santo Antonio, Bairro Santo Antonio, a reunião dos coordenadores da forania de Manhuaçu e cidade de Laginha, iniciou com a celebração da palavra, em seguida os participantes foram para o salão anexo a capela e continuou a reunião com orações, canticos e instruções com os coordenadores vindos com o coordenador da RCC DIOCESANA - RENATO. O encontro entre lideranças foi proveitoso e vai dar uma força nos trabalhos da forania pois ouve troca de conhecimento.






quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Apascenta as minhas ovelhas

Primeira pregação: Apascenta as minhas ovelhas

A primeira pregação do Encontro Nacional de Formação foi conduzida pelo presidente do Conselho Nacional da RCCBRASIL, Marcos Volcan, na manhã desta quinta-feira (26). Com o tema “Apascenta as minhas ovelhas”, ele desenvolveu a moção que conduzirá os trabalhos do Movimento em 2012. O momento também tinha como objetivo fazer uma introdução ao encontro que se inicia.

Volcan iniciou sua pregação falando que, antes de sermos pastores, é importante que lembremos que somos todos ovelhas. Para ilustrar o assunto, foi apresentado um vídeo da Parábola da Ovelha Perdida (assista abaixo). Ele pediu, após a exibição, que todos nós lembrássemos de quando fomos resgatados: “Quando isso aconteceu a você? Quando você foi salvo pelo Pastor, quando estava no limite de tudo?”, perguntou.

Seguindo a ideia do vídeo, ele passou a analisar a conduta da ovelha que se separou do rebanho. Segundo ele, por uma distração, ela deixa para trás tudo aquilo que vivia na pastagem, feliz, para explorar novos campos. Mas aquela distração a leva para a escuridão. “Mas quando ela estava no limite, o pastor escuta o seu grito!”, explica o presidente. Ele prosseguiu: “Deus nos resgatou do abismo. Todos nós vivemos porque fomos resgatados”.

Logo em seguida, Marcos chamou atenção para o fato de o Senhor ter reunido os carismáticos neste grande encontro para que sejamos ovelhas. “Carecemos dos cuidados de Deus”, disse. Para ele, está é a razão para o crescimento do Encontro que agora acontece, pois os direcionamentos dados durante a sua programação são como cuidados de Deus para nós, nos dando força e coragem. E, para isso, continuou ele, nos reunimos na forma desta grande família carismática. “É bom estarmos juntos”, comemorou Volcan.

O ENF é uma boa chance, segundo o presidente do Conselho, para projetar um ano de 2012 de muitas graças e bênçãos. “Ao contrário dos profetas da desgraça, estamos reunidos aqui para fazer de 2012 o ano da Renovação Carismática Católica”, afirmou.

Para projetar o novo ano, Marcos apresentou um vídeo contendo os fatos mais marcantes de 2011, como os Congressos Estaduais, as atividades missionárias e as conquistas do Movimento. Após a exibição, ele lembrou a todos: “Há ainda muito que ser feito”.

Ao finalizar a sua reflexão sobre o tema do ano, Marcos Volcan lembrou o texto de inspiração – Jo 21,17 -, quando Jesus pede a confirmação do amor de Pedro para entregar-lhe sua tarefa. Por isso, a Sua insistência: “Pedro precisava que Jesus confirmasse sua nova missão”. Para Marcos, este é o motivo de estarmos reunidos no ENF: “Precisamos disso para ter nossa missão confirmada”.

A pregação foi terminada com uma oração de entrega conduzida por Marcos.

RETIRADA DO PORTAL OFICIAL DA RCC DO BRASIL EM 02/02/12

22° CENACULO EM MANHUAÇU

22° CENACULO EM MANHUAÇU
GESTO CONCRETO: AGASALHO PARA A CAMPANHA DO AGASALHO. DOE, AJUDE, PARTICIPE.

PADRE IVO URBANO MOREIRA NASCEU EM 25/05/1921 E NOS DEIXOU COM SAUDADES EM 01/02/2002. QUANTOS ANOS PADRE IVO NOS DEIXOU?

BARRA DE VIDEO - FIQUE LIGADO

Loading...

BLOG DA RCC DE MANHUAÇU E FORANIA - DIVULGUE

Translate is blog

Postagens populares